D. A. de Biblioteconomia UFPE

Montanha de livros no lixo

Em um País que tem 10% da população com mais de 15 anos analfabeta, que o tempo médio de estudos é somente de 7,3 anos e que o número de livros lidos anualmente por pessoa não chega a dois, causou indignação a cena de desperdício do dinheiro público flagrada, ontem de manhã, na Avenida Norte, bairro de Santo Amaro, área central do Recife. Milhares de livros didáticos novos comprados pelo Ministério da Educação (MEC) e repassados para a prefeitura de Vitória de Santo Antão, na Zona da Mata pernambucana, foram parar no lixo. Em vez de serem usados por alunos e professores, os exemplares, muitos deles ainda com a embalagem lacrada, vão virar papel reciclado, uma vez que quem os comprou foi um catador de material reciclável.

A montanha de livros chamou a atenção de quem passou pelo local. Havia publicações de matemática, português, história, geografia, estudos sociais e ciências. A maioria era destinada a séries do ensino fundamental. Mas também havia títulos de alfabetização de turmas de Educação de Jovens e Adultos. (EJA). O catador, que não quis dizer o nome, contou que comprou os exemplares do Hospital de Câncer de Pernambuco. “Disseram que as palavras que tinham aqui nesses livros não servem mais. Que está tudo velho”, afirmou. Sem nenhum constrangimento, enquanto conversava com a reportagem do JC, ele arrancava as capas dos livros, que não servem para reciclagem, e guardava o miolo para ser pesado depois. “Tem mais de 1.300 quilos de papel”, contou.

Em vários pacotes havia uma etiqueta informando o destinatário. Pelo menos cinco colégios da rede municipal de Vitória de Santo Antão deveriam ter recebido as publicações, segundo essas etiquetas: Escola Municipal Nossa Senhora das Graças (localizada no Engenho Marmajuba), Escola Municipal José Marinho Alvares (Sítio Urubas), Escola Municipal Santa Terezinha (Engenho Ribeirão), Caic Diogo de Braga (Águas Brancas) e Grupo Escolar Municipal Mariana Amália. Em todos os livros, havia o carimbo do Plano Nacional de Desenvolvimento da Educação (PNLD), programa do MEC que distribui material didático para as escolas públicas. Referiam-se aos anos de 1998 a 2006.

O Hospital de Câncer de Pernambuco informou que recebeu, ontem, a doação de 4.053 livros da Secretaria de Educação de Vitória. No ofício em que consta os títulos e a quantidade doada, a secretaria explica que os livros serão repassados à unidade de saúde porque “encontram-se inutilizados por terem seu PNLD vencido”. O hospital vendeu os exemplares para serem reciclados por entender que, por isso, não teriam como ser aproveitados.

Fonte: JC online
Advertisements

1 de Julho de 2009 - Posted by | Não classificado

1 Comentário »

  1. Tem que divulgar mesmo, tem que denunciar, para que esse tipo de coisa não aconteça.

    Comentar por Tatiana | 13 de Julho de 2009 | Responder


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: