D. A. de Biblioteconomia UFPE

Um Festival dedicado às línguas neolatinas

Eleita a capital da neolatinidade, a cidade do Recife sedia mais uma edição do Festival Internacional de Culturas, Línguas e Literaturas Neolatinas (Festlatino) que será realizado de 24 a 27 deste mês. No encontro, estarão presentes escritores, professores, artistas e representantes culturais de países europeus e da América Latina, como Espanha, Portugal, França, Itália, Venezuela, Cuba e Argentina para discutir o tema Desafios da Neolatinidade: o diálogo cultural e as línguas neolatinas na Europa, África e América Latina. O evento é gratuito e aberto ao público.

“Esse festival atua no sentido de ampliar os vínculos entre os países europeus de línguas neolatinas, os países ibéricos, a América Latina os Estados membros do Mercosul e da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa – CPLP. A partir desse encontro, pretendemos estimular ações continuadas entre as nações”, afirma o fundador e organizador do Festlatino, Humberto França. Também é proposta do evento ampliar a difusão literária, lingüística e cultural neolatina; impulsionar intercâmbios de estudantes e professores para a aprendizagem e o ensino de idiomas originários do latim; divulgar as línguas e as literaturas neolatinas através de um diálogo plurilíngüe entre os países participantes; e promover a difusão de métodos avançados de ensino das línguas.

A programação está dividida em dois momentos. No período da tarde (14h às 17h) serão realizadas mesas redondas e palestras na Aliança Francesa, no Derby. E à noite, o evento acontece no auditório da Faculdade Frassinetti do Recife (Fafire), na Boa Vista, a partir das 19h, com outras palestras e apresentações culturais, como o show do maestro italiano Gerardo Iacoucci, regente da Orquestra da Rádio e Televisão Italiana (RAI). O músico se apresenta no dia 27/11, no encerramento do festival, com a gravação do DVD O Grande Encontro, com músicas de Jazz e Bossa Nova feitas a partir do livro de poesias A Noite de um Dia, do pernambucano Humberto França.

Os debates e mesas-redondas vão abordar, principalmente, os desafios das línguas neolatinas, com temas como: O latim numa perspectiva histórica; A situação da língua galega na atualidade; O Francês como Língua de Tecnologia; e A influência das línguas neo-latinas na língua inglesa. “As línguas originárias do latim têm uma importância muito grande para a civilização ocidental. Para se ter uma ideia, hoje em dia, mais de 50 milhões de pessoas nos Estados Unidos falam a língua espanhola, o que já indica uma propensão de se tornar um país bilíngüe”, afirma Humberto França. No campo literário, o Festlatino abre espaço para debates sobre poesias escritas nos países com língua neolatina; lançamentos de livros; e a participação de grandes escritores como Nélida Piñon, personalidade homenageada desta edição; e Laurentino Gomes.

MOSTRA – Dentro da programação do Festlatino terá também uma mostra de filmes franco-africanos, com exibição de quatro clássicos restaurados pela Cinémathèqueafrique, entidade que incentiva a produção e a difusão cinematográfica na África e faz parte do Cultures France, órgão de promoção e cooperação cultural francês. São filmes de cineastas de Senegal, Mali e França que serão exibidos pela primeira vez no Recife. “A ideia de agregar o cinema clássico africano ao Festlatino veio porque, além de ser um continente que abriga muitos países de línguas neolatinas, os filmes ainda são pouco conhecidos pelo público recifense”, afirma a pesquisadora responsável pela mostra, Raquel do Monte, que coordena o cineclube da Aliança Francesa. Os filmes serão exibidos no Auditório da Aliança Francesa, no Derby, de 25 a 27 deste mês.

Serviço:
Mais informações
informacao@festlatino.com
Inscrições: inscricao@festlatino.com

Fonte: ASCOM/UFPE

 

Anúncios

20 de Novembro de 2009 - Posted by | Não classificado

1 Comentário »

  1. Esta iniciativa é muito importante, até que se precisa mesmo encontrar pessoas que possa trabalhar no sentido de formar grupos de ideias em defesa destes povos que falam essa diversidade de línguas que são as línguas neolatinas.
    Considerando que cada povo por pequeno que seja e por mais reduzido que seja o número de falantes de suas língua não deixa de ser uma civilização distinta que traz consigo uma grande riqueza cultural.

    Comentar por Olavo | 27 de Dezembro de 2015 | Responder


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: