D. A. de Biblioteconomia UFPE

Uma biblioteca para bebês no Recife

Quando a educadora Lílian Veiga começou a ler historinhas para sua primeira filha, Sofia, chamou a atenção dos familiares. Afinal, Sosô, como é chamada, era apenas uma recém-nascida. Hoje, aos oito meses de idade, basta olhá-la para perceber o quanto a pequena gosta dos livros. A mãe não poupa esforços e, além de entonação diferenciada, sempre utiliza bonecos ou musiquinhas nas contações. É um momento de relax, lazer e também de estímulo. Achou estranho? Pois Pernambuco é um dos primeiros estados brasileiros a ganhar uma biblioteca da primeira infância (período que vai de zero a seis anos de idade). A experiência, iniciada na comunidade de Vasco da Gama, Zona Norte do Recife, vem dando certo, de acordo com o Instituto Brasil Leitor, responsável pela unidade. Contar historinhas, segundo os especialistas em educação, estimula o desenvolvimento do gosto pela leitura. Mesmo em quem ainda nem sabe falar.

Antes de sair correndo atrás de um livro para o seu bebê de trêsmeses, saiba que eles não vão compreender toda a história. Óbvio. Mas saiba que a entonação diferenciada usada para a leitura vai colocá-lo em contato, desde cedo, com o mundo dos livros. Por mais inocente que pareça, sentar com a criança de colo e ler faz com que ela desenvolva a oralidade/linguagem, a concentração e a atenção, a percepção e a criação do saudável hábito da leitura. E nem precisa ter sempre um livro à mão. Inventar historinhas desde que o bebê esteja focado no assunto também é uma boa, ensinam as pedagogas. Basta prestar atenção a algumas regrinhas.

“Os pais devem caprichar na entonação, utilizar encenações com fantoches ou músicas e escolher histórias curtas. Além disso, devem ter prioridade os livros grandes, de borracha, com figuras ou bonecos que a criança possa ver e interagir com eles”, explicou a coordenadora pedagógica do ensino infantil da Escola Primeiro Passo, Mariana de Carvalho. Os pais da pequena Manuela Maranhão, de dois anos, seguiram à risca as dicas. Hoje o presente que elamais gosta de ganhar são livros. Ela adora historinhas e já virou fã da Chapeuzinho Vermelho.

De acordo com Mariana de Carvalho, é desde bebê que se forma o leitor. Na escola onde trabalha, localizada no bairro de Setúbal, a turma ninho, destinada aos alunos de um ano, frequenta a biblioteca uma vez por semana. Isso mesmo. “Na biblioteca, além de livrinhos e revistas, eles também podem brincar com fantoches e outros bonecos. O lúdico deve caminhar com a aprendizagem nessa faixa-etária”, disse.

Mas não é preciso estar matriculado em colégio particular para ter acesso à leitura. Na comunidade de Vasco da Gama, na Zona Norte do Recife, está localizada a Biblioteca para Primeira Infância Clélio Queiroga. A unidade realiza contação de histórias com 150 crianças de até seis anos. O espaço é público, oferece um acervo de 720 livros e funciona das 7h às 17h, de segunda a sexta-feira.

“Desde o momento em que o bebê nasce e abre o olho é capaz de ler. Primeiro, ele faz a leitura do mundo por meio das expressões faciais e da voz da mãe. É importante fazer, além da leitura, conexões com brinquedos, já que nos primeiros meses de vida a criança vive num mundo muito concreto. Os pais ou educadores podem deixar, inclusive, que o bebê coloque o livro na boca, por exemplo”, afirmou a diretora do Instituto Brasil Leitor, responsável pela biblioteca pernambucana, Ivani Nacked. A Biblioteca da Primeira Infância fica na Rua Alto do Eucalipto, número 20, Vasco da Gama.

Fonte: Diário de Pernambuco

27 de Abril de 2010 Posted by | Não classificado | | Deixe um comentário

Falta de patrocínio fecha biblioteca da Estação do Metrô do Recife

Quem precisa de transporte público, sabe que usar ônibus ou metrô significa esperar. E ler livros é uma opção para se distrair. Essa era a ideia de um projeto na Estação Recife do Metrô, que oferecia livros para os passageiros e ainda ajudava a formar leitores. Mas, na semana passada, depois de três anos de funcionamento, a biblioteca fechou e deixou cinco mil pessoas sem o serviço de empréstimo de livros.

O espaço foi inaugurado em abril de 2007 numa parceria do Metrorec, Instituto Brasil Leitor e uma administradora de cartões de crédito. A primeira biblioteca deste tipo no Nordeste iria beneficiar as 230 mil pessoas que circulam pela Estação Central do Metrô, no Recife, todos os dias.

O acervo de 3.600 títulos inclui obras em Braille e audio-books, que são livros gravados em CD. Cinco mil pessoas se tornaram sócias da biblioteca do metrô. “Nós já contabilizamos mais de 50 mil empréstimos. Esse número mostra que o projeto estava dando certo, que o povo queria aprender mais. Os livros sempre eram devolvidos em bom estado”, disse a coordenadora do projeto Ler é Saber, Maria da Graças Garcia (foto 3).

Mas com a saída da empresa de cartões, o projeto perdeu R$ 100 mil por ano, dinheiro que garantia a compra de livros, equipamentos e o salário dos funcionários. Por causa disso, a biblioteca fechou. No entanto, o Metrorec afirma que o fechamento é por pouco tempo.

“Nós estamos em busca de um novo patrocinador. Enquanto isso a CTTU (Companhia de Transito e Transporte Urbano) está treinando dois funcionários para trabalhar com o nosso atual acervo, a partir do mês de maio”, falou o coordenador de Relações Externas do Metrorec, Marcelo Nóbrega .

Fonte: Pe360graus

12 de Abril de 2010 Posted by | Não classificado | | Deixe um comentário

Terminal Pelópidas Silveira passa a contar com biblioteca

A partir desta segunda-feira (12), quem passar pelo Terminal de Ônibus Pelópidas Silveira, em Paulista, na Região Metropolitana (RMR), vai poder pegar livros emprestados nas viagens de ida ou de volta.

É que a Biblioteca Leitura Integrada vai passar a emprestar cerca de 2.200 livros. Os interessados precisam fazer um cadastro, apresentando uma cópia e o documento original da identidade, do CPF, de um comprovante de residência, e uma foto 3×4.

Autores nacionais e estrangeiros fazem parte do acervo, o que permite aos usuários ter acesso a obras de ilberto Freyre, Machado de Assis, Paulo Coelho e José Saramago, entre outros, gratuitamente.

O usuário pode ficar com o livro por até 10 dias, podendo renovar três vezes consecutivas. A retirada e a devolução só poderão ser feitas na biblioteca.

Fonte: Pe360graus

12 de Abril de 2010 Posted by | Não classificado | | Deixe um comentário

Bom Exemplo: biblioteca dentro de sua borracharia

Quando a gente vai à borracharia, o cenário é sempre o mesmo. Gente trabalhando, pneus, peças de carros.

Mas em Sabará, na região metropolitana, tem livro no meio disso tudo. Estantes e mais estantes com muitas obras. E o melhor: tudo pra comunidade.

Quem inventou essa biblioteca é o quinto finalista do Prêmio Bom Exemplo.

Os pequenos leitores tomaram gosto pelas letrinhas, acredite, na borracharia. É que Marcos Túlio montou uma pequena biblioteca assim, entre os pneus que arruma.

As primeiras prateleiras ocupavam apenas um cantinho. Ficou apertado. E ele montou mais estantes numa salinha ao lado. História que enche de orgulho seu Joaquim, o fundador da borracharia. Mas admite: no começo desconfiou da ideia do filho!

Hoje já são quase dez mil títulos nesta unidade! Porque o projeto do marcos deu tão certo que ele montou outras duas bibliotecas!

Marcos não se esquece das primeiras boas histórias que despertaram nele o gosto pela leitura.

E assim, estudou letras, montou bibliotecas e dá bons exemplos à comunidade.

Um menino, que ainda não sabe ler direito, não desgruda das revistinhas… E de uma boa aventura.

Fonte: MGTV

5 de Abril de 2010 Posted by | Não classificado | | Deixe um comentário

Prêmio nacional de leitura abre inscrições a partir desta segunda-feira

As inscrições para a edição 2010 do Prêmio Vivaleitura, que tem como objetivo estimular experiências relacionadas à leitura, estão abertas a partir desta segunda-feira (22). O prazo vai até o dia 2 de julho.

 Podem ser inscritos trabalhos desenvolvidos por instituições, empresas, órgãos públicos e pessoas físicas do Brasil inteiro. São três categorias: 1) bibliotecas públicas, privadas e comunitárias; 2) escolas públicas e privadas; e 3) sociedade: empresas, ONGs, pessoas físicas, universidades e instituições sociais. Em cada categoria, os vencedores receberão um prêmio de R$ 30 mil.

 Candidatos podem se inscrever pelo site www.premiovivaleitura.org.br ou por carta registrada, com aviso de recebimento (Caixa Postal 71037-7 – CEP 03410-970 – São Paulo – SP).

 O Vivaleitura é uma iniciativa da Organização dos Estados Ibero-americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura (OEI), dos ministérios da Cultura e da Educação.

 O Prêmio tem execução e patrocínio da Fundação Santillana e apoio do Conselho Nacional de Secretários de Educação (Consed) e da União dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime).

 Os finalistas serão anunciados em outubro e a premiação está prevista para acontecer em novembro. Informações podem ser obtidas pelo telefone 0800-7700987. As ligações são gratuitas.

Fonte: G1

22 de Março de 2010 Posted by | Não classificado | | Deixe um comentário