D. A. de Biblioteconomia UFPE

ConeUFPE: “Bloco democrático” rejeita a democracia

O Congresso dos/as estudantes da Universidade Federal de Pernambuco, instância máxima de deliberação dos/as estudantes, ocorreu entre os dias 04 e 08 de novembro de 2009. A programação (1) contou com eventos culturais, oficinas e grupos de discussão sobre movimento estudantil na UFPE, educação, entre outros. No entanto, quase todas as discussões focaram uma proposta de mudança estatutária.

O CEB (conselho de entidades de base), composto pelos diversos DA’s (Diretórios Acadêmicos) da universidade, havia decidido que o único ponto deliberativo do congresso seria quanto ao estatuto, o que incomodou especialmente as organizações político-partidárias. Nesse contexto a tese “Potlatch: pela diluição do poder no diretório central dos estudantes” (2) foi apresentada e propunha basicamente o fim das eleições e da diretoria do DCE passando a gestão da entidade pras mãos dos CEB’s.

A tese foi construída por estudantes apartidários, antipartidários e anarquistas unidos à atual gestão “Levante e Cante: pois o grito já não basta”, a qual passou por um longo processo de reflexão crítica sobre suas posições iniciais a partir da experiência prática como diretoria do DCE sendo fortemente atacada por hoje defender a democracia direta ao invés de defender a continuidade da democracia representativa.

O risco de perder um espaço de propaganda política e financiamento (visto que o DCE recebe mais de R$100.000 por ano) assustou os grupos político partidários resultando num documento assinado pela ANEL (predominantemente PSTU) Correnteza (PCR), Vamos à luta (PT) e grupos correlatos. (3) O irônico foi o nome que essa aliança se deu “Bloco Democrático” quando o fim de tal aliança era impedir a radicalização da democracia na universidade.

O discurso do “Bloco Democrático” resumia-se a constantes ataques à antiga gestão e a idéia de que a base é imatura e necessita de representação para que as lutas políticas aconteçam. Durante os GDT’s (grupos de discussão e trabalho) que visavam a discussão do atual estatuto da UFPE tais grupos mostravam seu caráter conservador firmando uma unidade quanto à permanência do mandato em causa própria.

Nas vésperas da plenária final o quorum ainda não havia sido anunciado e após a janta, do penúltimo dia do Congresso, ocorreria continuação da tentativa de discussão sobre o estatuto. Por fim durante a refeição correu o boato de que o quorum não havia sido atingido. A discussão não continuou já que o Congresso não tinha mais um caráter deliberativo, pois diversos grupos e indivíduos o abandonaram reafirmando o posicionamento de que a eles só interessava a salvação da já moribunda democracia representativa no movimento estudantil. Por outro lado, no último dia do Congresso um grupo que apesar das divergências no que dizia respeito à tese convergiam no fundamento da proposta (democracia direta no DCE) se reuniu a fim de discutir como organizar uma atuação política efetiva para além do DCE.

Anexos
(1) http://dceufpe.clientewebhost.com.br/coneufpe2009/programacao/
(2) http://rapidshare.com/files/302841837/Potlatch.pdf.html
(3) Carta aos estudantes da UFPE

Fonte: CMI - Centro de Mídia Independente

12 de Novembro de 2009 Posted by | Não classificado | | Deixe um comentário